Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Vacinação para idosos tem calendário em SP, Rio e mais 5 capitais; saiba como vai funcionar

Recife, Manaus e Fortaleza já iniciaram a imunização; parte das secretarias municipais de saúde alega falta de doses para estabelecer datas

Luiz Carlos Pavão e Érika Motoda, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2021 | 12h00

Em meio a incertezas quanto ao recebimento de novos lotes para vacinas, algumas capitais brasileiras já começaram a vacinar idosos que não estão sob a guarda do Estado; ou seja, não estão em abrigos, asilos ou presídios. No entanto, a maioria das cidades ainda não tem um cronograma definido para vacinar a população geral, que não faz parte da linha de frente ao combate ao coronavírus, justamente porque ainda depende da disponibilização de vacinas pelo Ministério da Saúde e do respectivo governo estadual.

As cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Branco (AC), Fortaleza (CE) e Recife (PE) e o Distrito Federal já têm planos de vacinação para idosos. A capital fluminense irá vacinar idosos com 80 anos ou mais a partir da próxima segunda-feira, 1º. Em São Paulo, a vacinação ocorre a partir do dia 8 de fevereiro. Rio Branco deve começar a imunização de idosos a partir de 80 anos e que estejam acamados no dia 1.º de fevereiro. O Distrito Federal iniciará a vacinação de idosos com mais de 80 anos a partir desta segunda-feira, 1º. Fortaleza iniciou na última quarta-feira, 27, a vacinação domiciliar de idosos acima de 75 anos. Recife também iniciou na quarta a vacinação de idosos acima de 85 anos.  

Manaus (AM), que vive o colapso do sistema de saúde, começou a vacinar idosos de 80 anos nesta sexta-feira, 29. O critério é por mês de nascimento.

Sobre a estratégia de vacinação das capitais, especialistas veem como acertada a decisão por idade e que são adequadas depois dos idosos que estão em instituições de longa permanência e de profissionais de saúde.

Para o médico, fundador e ex-presidente da Anvisa, Gonzalo Vecina, a questão da escolha das faixas etárias para a vacinação depende muito da quantidade de idosos de cada cidade e Estado. “Em São Paulo, 20% da população de Pinheiros (zona Sul) é de pessoas acima de 65 anos, enquanto na Cidade Tiradentes é de apenas de 4%. Quando a vacina chega, temos que levar em consideração a questão geográfica", apontou.

"Por isso, quem vai decidir quem vai se vacinar tem que ter em mente a complexidade logística da questão. Tem que chegar nas UBS que atendem as regiões de que mais tem idosos. São Paulo e Rio têm uma população de idosos importante, os Estados do Sul também têm um envelhecimento populacional maior. Precisamos de fato conseguir acertar para diminuir os riscos de mortes quantos aos mais velhos. Quanto antes essa população for imunizada, melhor", completou Vecina.

Ele analisa que as cidades têm experiência com diferentes tipos de vacinação e que a dificuldade é em relação à escassez de doses e falta de coordenação do governo federal. “O plano final de vacinação é do município que quem executar. O governo federal dá a data, o estadual informa as doses, mas os municípios são os que efetivamente vacinam os seus moradores. É uma cadeia de acontecimentos. O governo federal perdeu a mão e tem tido dificuldades em reconhecer a quantidade de vacinas produzidas pelo Butantan. Isso vai se refletir nos municípios”, acrescentou o especialista.

O médico e pesquisador da USP Marcio Bittencourt vê com “bons olhos” a decisão por idade. “É o caminho mais simples de fazer e agora é entregar a vacina o mais rápido possível e esperar que os outros façam o mesmo.” Mas, para ele, o cenário ideal levaria em conta também outros fatores de risco, como doenças e obesidade.  

Bittencout também considera que as secretarias de saúde dos municípios já deveriam ter divulgado seus planos de imunização para os idosos mesmo antes da vacina estar disponível. “O ideal é que todas as regiões se manifestem o mais rápido possível, de forma mais estruturada possível. Não consigo entender como isso não foi feito antes. Acho que todo plano de ordens de prioridades e sequências deveria estar pronto muito antes da vacina estar pronta. E obviamente os governos só dariam a data, primeiramente vai ser esse grupo, depois esse e assim por diante.” 

O Estadão entrou em contato com as cidades para perguntar sobre o cronograma de vacinação da população geral. Veja abaixo as respostas das secretarias de Saúde:

Norte

  • Acre – Rio Branco: A vacinação dos idosos a partir de 80 anos e que estão acamados será iniciada no dia 1º de fevereiro. Nesta fase, apenas os idosos acamados (público geral) serão vacinados. Haverá duas equipes levando as vacinas para as casas desses idosos. Ainda não há data definida para iniciar a vacinação dos idosos com idades até 79 anos

  • Amapá – Macapá: A reportagem não conseguiu retorno da secretaria. 

  • Pará – Belém: A Secretaria Municipal de Saúde informa que está aguardando deliberação do Ministério da Saúde.

  • Rondônia – Porto Velho: No dia 2 de fevereiro, inicia-se a imunização dos idosos com mais de 80 anos. A vacinação do público acima de 75 anos depende da chegada de mais vacinas, pois o município tem apenas 5 mil doses reservadas para este público.

  • Roraima – Boa Vista: A Secretaria Municipal de Saúde informa que ainda não há previsão para a vacinação dos idosos com mais de 75 anos. A campanha de vacinação da covid-19 será executada conforme disponibilização de vacinas pelo Ministério da Saúde e governo estadual. A segunda etapa da vacinação, ainda com data indefinida, vai abranger idosos acima de 60 anos acamados e idosos acima de 75 anos. 

  • Tocantins – Palmas: A reportagem não conseguiu retorno da secretaria. 

Nordeste

  • Alagoas – Maceió: A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) está aguardando a próxima remessa de vacinas por parte da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau).

  • Bahia – Salvador: A secretaria não respondeu até a publicação desta reportagem. 

  • Ceará – Fortaleza: Idosos acima de 75 anos já começaram a receber a imunização. No dia 27 de janeiro, a cidade começou a vacinação domiciliar. Os idosos estão sendo contemplados com a vacina de Oxford/AstraZeneca. 

  • Maranhão – São Luís: A Prefeitura de São Luís disse seguir o Plano Nacional de Imunização e aguarda mais orientações do Ministério da Saúde sobre os grupos a serem vacinados. A gestão municipal lançou uma plataforma para os idosos acima de 75 anos se cadastrarem para a fila de vacinação

  • Paraíba – João Pessoa: No momento, não há previsão de data para o início da vacinação dos idosos que não residem em instituições de longa permanência. Os que residem já foram vacinados, assim como os trabalhadores desses locais. Estamos realizando o agendamento para a vacinação dos idosos acamados a partir dos 80 anos de idade. Atualmente, o grupo que está sendo vacinado são os trabalhadores de saúde.

  • Pernambuco – Recife: A vacinação de idosos com 85 anos ou mais já começou. Para isso, é preciso se cadastrar no Conecta Recife

  • Piauí – Teresina: A reportagem não conseguiu entrar em contato com a prefeitura. 

  • Rio Grande do Norte – Natal: A data e a estratégia de vacinação dos idosos de mais de 75 anos serão divulgadas quando a secretaria souber a quantidade de vacinas destinada para Natal.

  • Sergipe – Aracaju: A secretaria não respondeu até a publicação desta reportagem. 

Centro-Oeste

  • Mato Grosso - Cuiabá: A secretaria de saúde da cidade disse que no momento está trabalhando com os grupos de profissionais de saúde e como não receberam doses suficientes para este grupo, ainda não há calendário de vacinação para os demais grupos prioritários. Sobre preferência de imunizantes, Oxford ou a Coronavac, disseram que já trabalham com as duas vacinas e que as que vierem serão utilizadas.

  • Mato Grosso do Sul - Campo Grande: A reportagem não conseguiu retorno da secretaria.

  • Goiás - Goiânia: Só serão imunizadas pessoas acima de 75 anos quando houver mais doses disponíveis. Primeiramente será feita a vacinação dos primeiros grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde. 

  • Distrito Federal: A partir da próxima segunda-feira , 1º, o governo do Distrito Federal vai ampliar o público da vacinação contra a Covid-19. Serão vacinados os idosos acima de 80 anos, com público estimado de 42.355 pessoas, de acordo com a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan). As vacinas serão aplicadas em 36 salas, sendo 30 em unidades básicas de saúde já existentes e outras seis em locais estratégicos, como escolas e ginásios. O primeiro dia de vacinação para esse público vai começar, excepcionalmente, a partir das 13h. Confira os locais aqui.

Sudeste

  • São Paulo: O governo de São Paulo começará, a partir do dia 8, a vacinar idosos dentro do programa de imunização contra o coronavírus. Nesta data, começa a vacinação de idosos com idade de 90 anos ou mais. Os que têm 85 anos ou mais receberão a primeira dose do imunizante a partir do dia 15.

  • Rio de Janeiro: Os idosos que moram no município do Rio de Janeiro vão começar a ser vacinados contra a covid-19 na próxima segunda-feira, 1, em uma escala por dia conforme a idade da pessoa. Ao longo do mês de fevereiro serão vacinadas pessoas com 80 anos ou mais. No dia 1º serão vacinadas pessoas a partir de 99 anos, no dia 2 pessoas com 98 anos e assim por diante, até o dia 27 de fevereiro. Ainda não há um calendário para pessoas que tenham menos do que 80 anos.

  • Minas Gerais - Belo Horizonte: A prefeitura está seguindo o calendário de imunização nacional e assim que chegarem novas doses irá começar a imunização de novos grupos prioritários, porém não deu um prazo para que isso ocorra. 

  • Espírito Santo - Vitória : Segue o cronograma de vacinação e público-alvo conforme estabelecido pela Secretaria de Estado da Saúde. Estão sendo vacinados neste momento trabalhadores da saúde que atuam em hospitais, maternidades, laboratórios, centro de referência, unidade de saúde e pronto-atendimento. Para os demais grupos, aguardam novas doses e definições do Estado.

Sul

  • Rio Grande do Sul - Porto Alegre: A reportagem não conseguiu retorno da secretaria.

  • Paraná - Curitiba: A Secretaria de Saúde de Curitiba limitou-se a dizer que ainda não tem data prevista.

  • Santa Catarina - Florianópolis: A secretaria municipal de Florianópolis disse que não tem informações sobre a vacinação de outros grupos prioritários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.