Venezuela põe navio com 1159 em quarentena por gripe suína

Ao menos 14 pessoas a bordo estão com suspeita da doença e outras três estão confirmadas com o vírus A H1N1

Reuters,

18 Junho 2009 | 09h05

Chile tem 3ª morte por gripe suína; casos são mais de 3 mil

CARACAS- Um transatlântico espanhol com 1159 turistas a bordo foi colocado em quarentena próximo à ilha venezuelana de Margarita na quarta-feira, 17. Ao menos 14 pessoas a bordo estão com suspeita de gripe suína e outras três estão confirmadas com a doença. Autoridades do país permitiram o desembarque de 376 venezuelanos.

 

Veja também:

link País conclui primeiras sequências genéticas do A (H1N1)

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde 

"Com a descoberta da doença, o navio deve permanecer em quarentena até 24 de junho", disse o secretário de Saúde do Estado de Nova Esparta, Jorge Alchaer.

Na segunda-feira, o cruzeiro Ocean Dream, da Royal Caribbean e operado pela Pullmantur, atracou em Granada, no mar do Caribe, mas o desembarque não foi permitido porque vários passageiros tinham sintoma de gripe, segundo o ministério da Saúde do país caribenho. O segundo destino do transatlântico foi a ilha de Barbados, onde o desembarque também foi proibido.

A empresa se negou a comentar o caso. Na semana passada, o presidente da Royal Caribbean, Richard Fain, disse que a pandemia de gripe suína tinha afetado as operações da empresa de turismo, mas que os navios cumpriam normalmente seus itinerários. Muitas ilhas do Caribe dependem do turismo para alavancar sua economia.  A Venezuela tem 45 casos da doença.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína Venezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.