Viajar para trabalhar todos os dias pode afetar a saúde

Grandes deslocamentos têm impacto no estresse e na qualidade do sono, diz estudo

das agências de notícias,

31 de outubro de 2011 | 19h11

Viajar para trabalhar _seja de carro ou de transporte público_ pode ter impacto negativo na saúde, mostra um estudo publicado no BMC Public Health. Segundo os autores, o efeito de fazer grandes deslocamentos para trabalhar todos os dias e o impacto nos custos em termos de licença-saúde ainda não foi bem investigado.

 

Pesquisadores da Universidade Lund, na Suécia, avaliaram 21 mil pessoas com idades entre 18 e 65 anos que trabalhavam mais de 30 horas por semana e usavam carro, trem ou ônibus para se locomover, ou ainda, usavam bicicletas ou iam a pé ao trabalho. Os voluntários relataram sua percepção da própria saúde, como qualidade de sono, cansaço e estresse diário.

 

"De modo geral, usuários de carro e de transporte público sofriam mais de estresse, piora na qualidade de sono, exaustão e, numa escala de zero a sete, sentiam que sua saúde sofria impactos em comparação com quem não usava esses meios", diz Erik Hansson, um dos autores.

 

O impacto negativo na saúde dos usuários de transporte público foi associado à maior duração da viagem. No entanto, os motoristas de carro quem dirigiam entre meia hora e uma hora por dia se sentiam melhor do que aqueles cujas viagens duravam menos do que uma hora.

 

"Uma explicação para essa discrepância entre carro e transporte público pode ser que, no carro, a distância mais longa pode promover oportunidades de relaxar. No entanto, deve-se levar em conta que esses motoristas tendem a ser homens, com alto poder aquisitivo, que vivem em áreas mais tranquilas e que geralmente consideram sua saúde como boa."

 

No entanto, os autores ressaltam que é preciso fazer mais estudos para identificar como exatamente o deslocamento para trabalhar se relaciona com a saúde antes de reavaliar o equilíbrio entre necessidades econômicas, saúde e o custo dos dias de trabalho perdidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.