Vida urbana aumenta risco de câncer de mama, diz pesquisa

Poluição e estresse podem explicar tendência, segundo cientistas britânicos.

BBC Brasil, BBC

27 de novembro de 2007 | 10h55

Mulheres que moram e trabalham em grandes cidades têm mais chances de desenvolver o câncer de mama, segundo uma pesquisa realizada na Grã-Bretanha e apresentada para a Sociedade Norte-Americana de Radiologia.O estudo do Hospital Princess Grace, de Londres, analisou 972 mulheres e concluiu que aquelas que tinham uma vida essencialmente urbana apresentavam o tecido mamário muito mais denso.Pesquisas anteriores já mostraram que quanto maior essa densidade, mais chances de desenvolver o câncer de mama.Os cientistas acreditam que a poluição do ar contém partículas minúsculas que reproduzem os efeitos dos hormônios femininos e que podem influenciar na formação do tecido mamário."Este estudo nos leva a concluir que as mulheres que moram ou trabalham nas grandes cidades deveriam ficar mais atentas ao calendário de exames de mama", afirmou Kefah Mokbel, um dos autores da pesquisa."A outra implicação deste estudo é que as autoridades têm que se concentrar em reduzir as emissões geradas por veículos", disse. "Esta é uma questão importante para cidadãos e para políticos e é vital que todos estejam mais cientes do problema."A mama é composta por tecido gorduroso e por um tecido glandular "denso".Pesquisas anteriores mostraram que mulheres com 25% ou mais de seus seios compostos desse tecido glandular têm até quatro vezes mais chances de desenvolver o câncer do que aquelas cujas mamas têm mais tecido gorduroso.Um dos motivos é o fato de tumores no tecido glandular serem mais difíceis de se notar em exames de raio-X.A nova pesquisa indica que as mulheres urbanas com idades entre 45 e 54 anos tinham o dobro de chances de apresentar a mama com mais tecido glandular do que aquelas que vivem em vilarejos do interior.A tendência era ainda mais óbvia em mulheres com menos de 50 anos e entre aquelas que trabalhavam no centro de Londres.Os pesquisadores acreditam que o estresse da vida urbana também pode sujeitá-las a um risco maior.Mas para outros especialistas, como Stephen Duffy, da organização Cancer Research UK, o resultado da pesquisa também pode estar relacionado ao peso."Uma pesquisa de saúde realizada na Inglaterra concluiu que as mulheres que moram em Londres são as mais magras do país, e sabemos que a densidade do tecido mamário é inversamente proporcional ao peso corporal", afirmou Duffy.Mas segundo ele, independentemente dos motivos, o estudo demonstra a necessidade de mais atenção aos exames da mama.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.