Vigilância Sanitária recolhe 286 litros de leite no DF, diz TV

Lotes foram retirados de mercados por suspeita de contaminação com soda cáustica e água oxigenada

30 de outubro de 2007 | 10h31

A Vigilância Sanitária retirou 286 litros de leite de quatro grandes supermercados de Brasília, nesta terça-feira, 30, segundo reportagem do jornal DFTV, da TV Globo. Os lotes recolhidos foram condenados pela Polícia Federal por suspeitas de contaminação com soda cáustica e água oxigenada.   Veja também:  PF apreende queijo vencido em Minas   Lotes das marcas de leite Calu, Centenário e Parmalat estão sendo retirados do mercado. Na última semana, a PF desmontou uma quadrilha que adulterava leite em duas cooperativas mineiras adicionando substâncias químicas irregulares ao produto com o objetivo de aumentar seu prazo de validade.   No Distrito Federal, a Vigilância Sanitária só encontrou rastro de fraude, até agora, em alguns produtos da marca Parmalat. Os lotes interditados são LCZL 01 e LCZL 06.   O diretor da Vigilância Sanitária do DF, Laércio Cardoso, lembra que o número do lote, a data de fabricação e a da validade têm que estar visíveis na embalagem. O lote é um conjunto de números, letras ou os dois juntos, que identifica os produtos fabricados pela empresa em determinado dia. Caso haja alguma desconfiança sobre a mercadoria, fica mais fácil identificar e retirar do mercado apenas os lotes com problema.   Na última segunda-feira, foi publicada no Diário Oficial da União resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que determina a interdição cautelar de lotes de leite tipo longa-vida comercializados pelas empresas Parmalat, Calu e Centenário. Os lotes de leite que foram interditados não devem ser consumidos. Porém, até este momento, não há restrição de consumo e comercialização para outros lotes do produto. Os estoques de leite cujos lotes estão interditados não podem ser comercializados nem devem estar acessíveis à população nos pontos de venda, locais sujeitos à fiscalização sanitária.   Desde quinta-feira, as Vigilâncias Sanitárias dos Estados e municípios estão orientadas a interditar preventivamente os lotes de leite que "não estão em conformidade", isto é, apresentaram acidez ou alcalinidade em desacordo com a legislação do Ministério da Agricultura.   O consumidor que tiver adquirido leite cujo lote está interditado não deve, por precaução, consumir o produto. A população pode apresentar o leite (cujo lote está interditado) ao estabelecimento comercial em que o produto foi adquirido e ainda informar ou encaminhar o leite à Vigilância estadual ou municipal. A Anvisa orienta ainda que, em caso de verificação de qualquer aspecto diferente no produto - como a cor, o cheiro ou o paladar - o consumidor também comunique o fato à autoridade sanitária local.   Mais informações podem ser obtidas por meio da Ouvidoria da Anvisa, pelo e-mail ouvidoria@anvisa.gov.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.