Vírus da gripe literalmente derrete no verão, diz estudo

Camada protetora que permite ao vírus sobreviver fora do corpo humano se desfaz quando a temperatura sobe

ANSA,

03 de março de 2008 | 14h19

pesquisa realizada pelos National Institutes of Health dos Estados Unidos revelou que o vírus da gripe ataca com maior intensidade no inverno porque a camada protetora que possui não suporta o calor e, literalmente, derrete em temperaturas mais altas, tornando o agente infeccioso vulnerável ao ambiente fora do corpo do hospedeiro.   Liderados por Joshua Zimmerberg os cientistas descobriram que o vírus da gripe se protege com uma capa gelatinosa que derrete facilmente em temperaturas mais quentes, deixando-o indefeso.   Já no inverno, o frio mantém a camada externa do vírus mais firme, explicou o estudo publicado na revista Nature Chemical Biology, permitindo que ele sobreviva na viagem entre uma pessoa e outra.   "Como um M&M (confeitos de chocolate) ela derrete na boca", disse Zimmerberg explicando que assim que o vírus entra em contato com a mucosa nasal a camada de gordura derrete deixando-o livre para agir.    Esta descoberta é importante pois abre novas vias para combater o vírus e controlar melhor as épocas de gripe. Como todos os vírus, o da gripe também não é dotado de vida autônoma - para se reproduzir, ele necessita do corpo humano.   O vírus está, portanto, seguro apenas dentro das células humanas por ele infectadas. Fora, o vírus não é nada mais que uma microscópica caixa que contém material genético.   A caixa o protege das intempéries, à espera do momento em que conseguirá entrar no corpo de uma pessoa. Apenas na mucosa nasal, onde a temperatura é alta, é que o vírus se beneficia do derretimento da proteção, para poder começar a agir.

Tudo o que sabemos sobre:
gripevírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.