Vírus que combate câncer pega 'carona' no sangue, diz estudo

Reovírus se desloca junto de células sanguíneas para chegar ao tumor sem ser detectado por anticorpos

BBC

14 de junho de 2012 | 10h54

Vírus capazes de combater células cancerígenas se espalham pelo corpo humano pegando "carona" nas células sanguíneas, afirma um estudo de pesquisadores britânicos publicado no jornal Science Translational Medicine. A descoberta, dizem especialistas, é fundamental para o desenvolvimento de tratamentos de tumores.

 

Os chamados reovírus podem ser usados para tratar o câncer, mas não se sabe se o sistema imunológico do corpo responderia à sua presença e o eliminaria. Normalmente, eles são inofensivos, apesar de causar gripes e dores de estômago em crianças, e ainda conseguem combater células cancerígenas sem fazer mal ao organismo.

 

Experimentos conduzidos em camundongos mostraram que o vírus poderia não sobreviver no sangue devido à ação de anticorpos. Isso significa que o microorganismo presicaria ser inserido diretamente no tumor ou ser administrado como um remédio para que resistisse ao processo imunológico.

 

O estudo da Universidade de Leeds e do Instituto de Pesquisa do Câncer da Grã-Bretanha mostrou que o reovírus pode escapar do sistema imunológico "se escondendo" no sangue.

 

Os dez pacientes que partiicparam da pesquisa tinham câncer no intestino em estágio avançado, já se espalhando para o fígado. O reovírus foi encontrado no sangue destas pessoas, e não no plasma líquido onde as células ficam - e onde teoricamente deveria agir -, mostando que ele "pegou carona", de acordo com os pesquisadores.

 

Para Alan Melcher, professor da Univerisdade de Leeds, o reovírus se mostrou ainda mais inteligente. "Ao se deslocar junto com as células sanguíneas, o vírus consegue chegar ao seu alvo sem ser notado pelo sistema imunológico", explicou, acrescentando não ter dúvidas de que o reovírus futuramente será usado como tratamento do câncer junto da quimioterapia.

 

Kevin Harrington, do Instituto de Pesquisa do Câncer, disse que tratamentos virais como o do reovírus é uma promessa para novos tratamentos. "Esse estudo nos dá muito boas notícias. Pode ser possível fazer um tratamento apenas com uma aplicação de injeção no sangue", diz.

 

Não se sabe por que reovírus afetam somente células cancerígenas. Essas células se comportam de modo diferente das saudáveis, o que as torna mais suscetíveis à infecção do vírus. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.