Imagem Daniel Martins de Barros
Colunista
Daniel Martins de Barros
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Você salvará o Brasil

Me convenci de que o País não será destruído. Não por causa de Bolsonaro ou do PT

Daniel Martim de Barros*, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2019 | 03h00

O medo é a emoção mais explorada pela política. Se quiser trazer alguém para seu lado, basta passar a ilusão de que o mundo é dividido em dois e incutir o medo do lado oposto. Nem precisa convencer que seu lado é bom. Funciona à esquerda e à direita. Para liberais e conservadores. Capitalistas e comunistas. 

Estamos há algum tempo vivenciando o medo. O medo de que a esquerda não descansará até destruir com as famílias. De que a direita irá até o fim para exterminar os pobres. De que a corrupção acabará com o País. De que o combate à corrupção acabará com o País. 

Mas estou convencido de que o País não será destruído. Por quê? Não é por causa do Bolsonaro. Não é por causa do PT. É por sua causa.  

Porque as pessoas nas ruas, nos seus trabalhos, em suas famílias, resistirão. A maioria silenciosa, que não vocifera nas redes sociais, que não defende lados fechando os olhos para seus vícios. Apesar da sedução da visão binária do mundo, a maioria das pessoas, em todos os níveis sociais e econômicos, sabe que o mundo é mais complicado do que isso. 

Amamos nossa família e ficamos morrendo de raiva dela. Louvamos e xingamos os jogadores do nosso time em minutos. Queremos descansar e passear ao mesmo tempo. A vida é tudo, menos binária, quase todo mundo sabe disso. 

Então, à medida que os berros histéricos de parte à parte nos forem cansando, será cada vez mais comum ouvir a voz serena dizendo: “Espere um pouco. Assim é demais”.

Quem salvará o Brasil será você que, mesmo achando que o Bolsonaro foi alternativa melhor do que a volta do PT, não admite que se exalte a memória de um torturador. Você que não acha que os fins justificam os meios e pensou: “Não concordo”. Sei que não disse nada porque a gritaria dos extremos ainda abafa sua voz, intimida. Mas está chegando a hora do “Basta!”. Você que temia a vitória da esquerda e ainda defende seu voto, mas se sente ofendido ao ouvir todos os nordestinos serem chamados de ‘paraíba’. “Está errado”, você sabe. Não tenha medo de falar. Porque é você que salvará o Brasil. 

Você que defende a propriedade privada, mas não a ponto de colocá-la como um valor acima da vida humana. Que não desdenha da força bruta, mas não a enaltece como virtude. Você que não gosta da ideologia da esquerda, mas não aceita que vozes discordantes sejam silenciadas. 

A salvação do País está nas suas mãos, que embora saiba que há movimentos organizados de esquerda, é racional o suficiente para saber que nem todos que discordam de suas opiniões fazem parte dessa trama maligna. Assim como não aceita ter sua opinião desqualificada simplesmente por adotar essa ou aquela inclinação política, nosso futuro repousa em sua postura de não aceitar a desqualificação da opinião alheia. Você que, embora discorde de determinados jornalistas, acha absurdo que sejam demitidos por suas opiniões. Não hesite mais em comentar: “Isso não está certo”.

A maioria das pessoas sabe que o conhecimento científico é mais sólido do que a opinião de amigos da nossa bolha. Se é uma delas, você irá salvar o Brasil. Quando rejeitar políticas feitas na base do achismo, ignorando evidências científicas. Você que já se irritou com ativistas de ONGs, mas chora ao ver nossas florestas sendo derrubadas e não aceitará retrocessos na proteção ambiental. As mulheres que rejeitaram Haddad e o PT, mas mesmo assim ficam desconfortáveis com a misoginia expressa por Bolsonaro, salvarão o País ao denunciar a discordância – isso não as transforma em esquerdistas. Quem não acha mais graça em piada com homossexualidade salvará o Brasil ao apontar o dedo para a discriminação, mesmo concordando com os atuais rumos da economia. 

O Brasil tem salvação. Não nos tornaremos um país marcado pelo ódio, misoginia, homofobia, ignorância. Sabe por quê? Porque você não vai permitir. Porque, em conjunto, a sociedade avança em direção à tolerância, conhecimento, inserção, justiça. Não precisa ser contra o Bolsonaro. Você que apoia suas políticas, no todo ou em parte, e ainda assim rejeita sua persona. Você é minha esperança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.