DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO
DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO

Votorantim confirma 1ª morte por dengue

A cidade, de 109,8 mil habitantes, tem 1.894 casos confirmados e, de acordo com a Secretaria, a doença já atingiu todos os bairros

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

12 Maio 2015 | 19h42

SOROCABA - A Secretaria de Saúde de Votorantim, região de Sorocaba, confirmou nesta terça-feira, 12, a primeira morte por dengue. A vítima, uma mulher de 61 anos, moradora do Jardim Novo Mundo, morreu no dia 7 de abril, mas só agora saíram os exames feitos pelo Instituto Adolfo Lutz. A cidade, de 109,8 mil habitantes, tem 1.894 casos confirmados e, de acordo com a Secretaria, a doença já atingiu todos os bairros. A prefeitura já decretou emergência em razão da epidemia.

Em São Carlos, a dengue como causa da morte de uma menina de 12 anos, ocorrida no dia 8 de abril, foi confirmada pela Secretaria de Saúde do município nesta terça-feira, 12. O laudo foi emitido pelo Serviço de Verificação de Óbito, depois que a prefeitura colocou em dúvida os exames feitos pelo Instituto Adolfo Lutz. Em São José dos Campos, foram registrados em uma semana 800 novos casos, elevando para 6.131 os casos confirmados de dengue. 

Transgênico. Cerca de 1,6 milhão de mosquitos modificados geneticamente foram soltos no bairro Cecap, em Piracicaba, desde que um projeto pioneiro de controle da dengue teve início, no dia 30 de abril. Ao cruzar com a fêmea selvagem, o macho transgênico produz filhotes que não atingem a idade adulta, interrompendo o ciclo reprodutivo do transmissor da dengue.

De acordo com a empresa Oxitec, que desenvolve o projeto em parceira com a prefeitura, a queda na temperatura nos últimos dias não afeta a ação dos mosquitos. Como o Aedes aegypti transgênico vive de dois a quatro dias, a soltura ocorre três vezes por semana para garantir uma população equilibrada de machos geneticamente modificados no bairro. A primeira avaliação dos resultados deve ocorrer entre julho e agosto deste ano. 

Mais conteúdo sobre:
dengueVotorantim

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.