Marco Yamim/Divulgação
Marco Yamim/Divulgação

Após quatro meses de fechamento, hotéis e pousadas podem reabrir em Ilhabela

Desde de março, a cidade teve períodos de isolamento drástico, com o fechamento do acesso a turistas pelo sistema de balsas

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

10 de julho de 2020 | 16h19

SOROCABA – Depois de quase quatro meses de fechamento, hotéis, pousadas, bares e até salões de beleza podem voltar a funcionar a partir da próxima quarta-feira, 15, em Ilhabela, no litoral norte de São Paulo. A ilha é um dos principais destinos turísticos do verão paulista. Desde meados de março, a cidade teve períodos de isolamento drástico, com o fechamento do acesso a turistas pelo sistema de balsas. Com isso, garantiu índices baixos de disseminação do coronavírus. Até esta sexta-feira, 10, foram registrados 231 casos e três mortes.

De acordo com a prefeita Gracinha Ferreira (PSD), o comitê de enfrentamento da covid-19 indicou a possibilidade de reabertura das atividades turísticas seguindo os protocolos de segurança que serão estabelecidos em decreto municipal. “O comitê é composto principalmente por profissionais de saúde, inclusive infectologistas”, disse. 

A gestora se reuniu também com representantes da Associação Comercial e Empresarial de Ilhabela, “que puderam esclarecer dúvidas e expor seus anseios diante da pandemia e o futuro dos seus comércios e empregados”. O plano da prefeitura é reabrir também as academias e piscinas a partir do dia 22 de julho. A associação informou que está orientando comerciantes e hoteleiros sobre as regras para a reabertura e fornecendo cartazes com os procedimentos. 

Empresário do setor, Bruno Olavo disse que a maioria dos hotéis e pousadas da ilha reduziu o quadro de funcionários. “Com a possibilidade da reabertura, os funcionários que estavam afastados estão sendo chamados. A expectativa é de que o decreto possibilite uma reabertura ampla, pois não adianta o hotel funcionar se não tem turista.”

Ilhabela é a última das quatro cidades do litoral norte a reabrir a rede hoteleira. Nesta sexta, a região foi mantida na fase 2 (laranja) do Plano São Paulo de reabertura das atividades econômicas. Os quatro municípios somam 1.707 casos e 67 óbitos pelo novo coronavírus. A vizinha São Sebastião liberou o funcionamento dos hotéis e pousadas, com até 50% da capacidade, no dia 1° de junho. Os restaurantes abrem inclusive nos fins de semana, das 11 às 15 horas.

Em Ubatuba, os hotéis e pousadas já funcionam com 50% da capacidade desde meados de junho. Os restaurantes atendem com até 30% da lotação, mas apenas de segunda a sexta-feira, com abertura até 22 horas. Lojas e garagens náuticas também reabriram, com operação limitada a 30% da capacidade. A maioria do comércio funciona até 19 horas e fecha nos fins de semana. Conforme a prefeitura, a frequência nas praias é limitada à prática esportiva individual, de segunda a quinta-feira, somente para moradores. A cidade registrou 216 casos e 12 mortes pela covid-19.

Os hotéis e pousadas de Caraguatatuba estão funcionando desde o dia 20 de junho, com 40% da capacidade. O comércio teve a abertura liberada durante seis horas diárias – das 11 às 17 horas -, de segunda a sábado. Já os shoppings funcionam das 14 às 20 horas, exceto aos domingos. Os quiosques de praia também voltaram a funcionar, com limite de até dez mesas para quatro pessoas na faixa de areia. Caraguatatuba é a cidade da região com mais coronavírus – já são 567 casos e 41 mortes.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.