Juca Rodrigues/Fotoarena
Juca Rodrigues/Fotoarena

Secretaria de Saúde do Rio confirma 20 casos de febre amarela silvestre no Estado

Desde o começo do ano, foram registrado casos da doença em Teresópolis, Valença, Nova Friburgo, Petrópolis, Miguel Pereira e Duas Barras

O Estado de S.Paulo

23 Janeiro 2018 | 18h44

RIO - Novo boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira, 23, pela Secretaria Estadual de Saúde do Rio confirma o registro de 20 casos de febre amarela no Estado. Em oito casos, as pessoas infectadas morreram.

+ Alckmin diz que é possível vacinar contra febre amarela todo o Estado até o fim do semestre

Os casos foram registrados em Teresópolis, Valença, Nova Friburgo, Petrópolis, Miguel Pereira e Duas Barras, na Região Serrana. Todos os casos são de febre amarela silvestre. Desde 1942 não há nenhum registro de febre amarela urbana no país.

A Vigilância Sanitária confirmou hoje que nada menos que 90 macacos foram encontrados mortos no Estado desde o início do ano – num indicativo de que muitos animais estariam sendo mortos por temor de contágio.

+ Ministério envia mais 1 milhão de seringas para São Paulo

Especialistas da secretaria voltaram a frisar que o macaco não transmite a doença ao homem. O transmissor é o mosquito hemagogus (no caso da febre amarela silvestre) e o Aedes aegypti (no caso da febre amarela urbana).

+ Zoo, Safári e Botânico são fechados em SP após macaco ser achado morto

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.