TIAGO QUEIROZ / ESTADÃO
TIAGO QUEIROZ / ESTADÃO

São Paulo registra apenas 48% de isolamento contra coronavírus pelo 3º dia

O governo considera como meta 60% de isolamento, mas diz que o ideal para evitar um colapso do sistema de saúde seria de 70%; baixa adesão ameaça tentativa de flexibilização a partir de 11 de maio

Giovana Girardi, O Estado de S.Paulo

25 de abril de 2020 | 19h59

SÃO PAULO - A taxa de isolamento social no Estado de São Paulo em razão da pandemia de coronavírus continuou baixa nesta sexta-feira, 24, e ficou mais uma vez em apenas 48%, de acordo com dados do Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP) do governo de São Paulo.

Essa era a porcentagem de pessoas em casa também na quarta e na quinta-feira, o que tinha acendido um 'sinal amarelo' no governo de que talvez a flexibilização pretendida a partir de 11 de maio não seja possível. O Estado, que completou um mês de quarentena na sexta, já contabiliza mais de 20 mil casos e 1.667 mortes, em um ritmo de novas vítimas que continua crescendo todos os dias.

Ao longo da semana, monitoramento feito pela CET e pelo Waze também revelou que a capital registrou o maior fluxo de veículos desde o início da quarentena, em 24 de março. O governo considera como meta 60% de isolamento, mas diz que o ideal para evitar um colapso do sistema de saúde seria de 70%.  O valor nunca foi alcançado. Em todo o Estado, o máximo de isolamento já obtido desde que a medida foi adotada foi de 59%.

Os hospitais, porém, já estão chegando perto do tão temido colapso. Na Grande São Paulo a taxa média de ocupação de UTIs chegou a 77,3% neste sábado, mas vários hospitais já estão com a ocupação completa, como o Emílio Ribas.

"Mais uma vez quero registrar, com a mesma franqueza, que as decisões são tomadas com base na ciência, medicina e saúde. Com 48% de isolamento, não será possível realizarmos flexibilização na região metropolitana de São Paulo. Se não fizerem isolamento, com índice mínimo de 50%, nós revisaremos a decisão a ser anunciada no dia 8 de maio, de flexibilização gradual", afirmou nesta sexta-feira o governador João Doria.

As taxas de isolamento são obtidas a partir da análise des dados de telefonia móvel que indicam tendências de deslocamento em 104 cidades com mais de 70 mil habitantes. O monitoramento aponta em quais regiões a adesão é maior e em quais as campanhas de conscientização precisam ser intensificadas.

Pelo sistema, as cidades que chegaram a 60% de isolamento nesta sexta foram São Sebastião (66%), Ubatuba (64%), Cruzeiro (62%), Lorena (62%), Ibiúna (60%) e Bebedouro (60%). Nesses municípios, a covid-19 ainda tem poucos casos. São Sebastião, por exemplo, registrou 15 infectados e duas mortes. Em Ubatuba houve 4 casos. Em Cruzeiro, três casos, com uma morte. Nas outras três cidades, foram 1, 5 e 3 casos, respectivamente, sem nenhuma morte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.